Tempo para Leitura: 9 minutos

Conheci muita gente nesses quase 8 anos escrevendo, conheci pessoal legais, pessoas interessantes, e pessoal que a gente deseja esquecer que um dia cruzou nosso caminho haha

Mas se tem uma pessoa que quando encontro é um prazer, é o Paul, alem de entender muito do que faz, é uma pessoa que podemos sentar e ficar conversando por horas, sem nem tocar em assunto de trabalho, dar boas risadas, e quando o assunto é trabalho, não tem problemas em conversar com a gente. Se todos fossem assim nosso trabalho seriam muito melhor haha.

Conheço o Paul já tem alguns anos, e ano passado pudemos conversar bastante em um evento da AutoDesk em Las Vegas, e resolvi pentelhar um pouco o Paul com algumas perguntas.

Como vocês sabem eu sou apaixonado por quase tudo que é 3D, acho legal fazer, acho legal construir, e claro imprimir tudo, mas tambem sou doido por tecnologia em geral, então pensei, que tal umas perguntas para o Paul ? Sei que suas respostas serão bem interessantes.

Então depois de pensar muito resolvei enviar para a Priscilla Fiorin, que me atura faz tempo e sempre me ajuda com coisas doidas que saem da minha cabeça haha, juntou eu, ela e o Paul, é fato, sempre tem coisa boa para escrever.

paul

Mas vocês devem estar perguntando, afinal quem é esse Paul.

Hoje o Paul é evangelista de novas tecnologias da Autodesk para América Latina, logo juntei o útil ao agradável, posso falar de tecnologia em geral, com um cara que manja muito de 3D.

Então resolvi  fazer algumas perguntas, e o Paul me respondeu prontamente, e resolvi publicar porque achei muito interessante.

Então chega de conversa e vamos ao nosso Bate Papo.

Richard:

Primeiro parabéns pela nova função na Autodesk, e já que está com um cargo que pensa no Futuro, vou aproveitar a chance hahaha e lhe fazer algumas perguntas ok ?

1 – Cada dia temos mais coisas dentro de casa que  apresentam problemas ou quebram, e uma pesquisa no Google ajuda a entender como reparar ou trocar a peça defeituosa, mas por enquanto nos dias de hoje temos que sair e comprar a peça para reparo. Acredita que em quantos anos as pessoas vão poder ter uma impressão 3D que tenha capacidade de criar essas peças ou partes, com qualidade suficiente para o reparo, e claro com um custo tanto da impressora e insumos para produzir, quanto do custo da produção da peça.

Paul:

A magnificência e a promessa de impressoras 3D não são para produzir coisas que podem ser feitas hoje por meio da fabricação tradicional. Nós não precisamos de uma impressora 3D para reconstruir uma nova xícara de café ou substituir um sapato perdido. Você pode imaginar se cada vez que queira para escovar os dentes, tivermos que fazer a escova de dentes ou creme dental?

Só porque você pode fazê-lo – não significa que você quer fazê-lo. É mais caro imprimir em 3D  uma xícara de café ou escova de dentes que comprar uma versão produzida em massa.

Tecnologia de impressão 3D  já tem 30 anos de idade. Mas, em muitos aspectos, assim como os primeiros computadores pessoais e tablets, as primeiras impressoras 3D tinham versões fora da realidade. Hoje, essas impressoras se ajustam melhor em aplicações industriais. Ao longo do tempo, com a queda dos preços, mais pessoas que têm uma necessidade, serão capazes de adquirir uma. Ao contrário das impressoras laser ou preto e branco ou a cores ou impressoras fotográficas, nem todo mundo vai querer ou precisar de uma.

A promessa real de impressão 3D é que os produtos serão imaginados, projetados e criados, o  que não seria possível sem a impressoras 3D. Nos Estados Unidos, a Lightning Motorcycle, motocicleta elétrica mais rápida do mundo, criou um braço oscilante leve, usando software de design generativo da Autodesk e depois criou a parte real com uma impressora 3D.

Ferramentas de fabricação tradicionais não poderiam produzir este projeto de forma intrincada. Então, nesse sentido,  este é um excelente exemplo da promessa e capacidade de impressão 3D. Na indústria médica, partes do corpo (próteses, ossos do quadril) foram impressas. Uma pequena empresa startup em os EUA chamada Poriferous, está projetando e fabricando a próxima geração de implantes craniofaciais em polietileno! Eles são emblemáticas da “nova revolução industrial” na medida em que eles realizam todos os processos associados com a fabricação de seus produtos em casa.

Outro exemplo relevante de um produto 3D impresso é da placa de circuito que vemos em computadores e produtos de tecnologia. Em vez de uma placa retangular e achatada que precisa de várias etapas para fazer, nós vamos ser capazes de imprimir placas de circuito em forma redonda, onde os componentes podem ser impressos na esfera, e a montagem não requer uma etapa extra. Você também pode esperar avanços em imprimir com mais materiais e multi-materiais de impressão (objetos de impressão que contêm plásticos, fibra de carbono, kevlar, etc.).

Agora vamos voltar para a pergunta original sobre cada pessoa ser capaz de usar a impressora. É claro que vamos ser capazes de imprimir objetos que precisam  de reparo. Posso precisar de um novo porta retrato ou uma ferramenta para a minha casa. Usuários acabarão por ter impressoras de diferentes tamanhos para imprimir objetos maiores ou menores. No futuro, você vai ver grandes impressoras para imprimir móveis, ou uma asa de avião, equipamento ou um carro, ou vamos ver grupos de impressoras combinando (como um multiprocessador baseado computador ou paralela).

Richard:

2 – Ainda falando em impressora 3D, com elas é possível criar coisas, mas exige um certo grau de conhecimento um pouco avançado, acredita que no futuro próximo seja possível um software para leigos ? para que qualquer pessoa possa imprimir algo que queira ?

Paul:

Todos podem aprender a imprimir em 3D. As pessoas sabem como dirigir carros sem saber como o motor de combustão interna realmente funciona. Quantas pessoas sabem como seus telefones celulares transmitem sinais sem fio da torre de celular para satélites no espaço e, em seguida, recebem sinais do outro lado do mundo em questão de segundos? Ou como a tela da TV recebe imagens? Como um jogo de futebol na África do Sul é transmitido para sua sala de estar? Sabemos como isso funciona? Normalmente não!

No entanto, não saber os detalhes técnicos de como isso acontece não impede as pessoas de usar telefone celular ou assistir TV.

A geração de impressoras 3D de hoje ainda necessita de um pouco de manutenção. Enquanto eles são uma tecnologia de 30 anos de idade, as últimas ofertas estão caindo para níveis de preço que os tornam atrativos, e começando a ser interessantes aos entusiastas e fabricantes caseiros, os “makers”. Assim como os primeiros e caros computadores pessoais começaram a serem usados, por usuários mais técnicos. Mais tarde, quando eles começaram a se tornar um produto de massa, as pessoas aprenderam a escrever com programas como Word Perfect e Microsoft Word. Para imprimir novos comandos e padrões saiu como WYSIWYG (What you see is what you get – o que você vê é o que você obtém). Eu não tenho que saber como fazer o código, a fim de usar um PC. Ninguém sabia como a impressora especificamente trabalhou, só que nós poderíamos dar um comando que dissesse “Imprimir” e a impressora imprimia. Isso é tudo o que deveríamos nos preocupar.

Honestamente, antes que se tornem uma mercadoria de casa, eu vejo as impressoras 3D sendo usadas mais como um serviço de empresas. Antes tínhamos impressoras fotográficas em nossas casas, nós levávamos o nosso filme para uma loja de impressão de fotos. Eu acho que este modelo será semelhante à impressão 3D. Lojas de impressão 3D terá um arsenal de impressoras para atender você e as suas necessidades. Por exemplo: enviar o arquivo e buscá-lo em uma hora. Mas haverá pequenas empresas que desafiam as grandes corporações através da criação de produtos inovadores que essas grandes companhias estão ignorando. Eles podem começar como um nicho, mas as empresas vão crescer e eventualmente atrair empresas maiores.

Richard:

3 – Hoje já sabemos que muitas montadoras usam impressoras 3D para criar carros em escala para testes e impressões reais do produto mas criar um carro, ainda é algo que pelo menos pra mim ainda é distante, acredita que seja possível ?

Paul:

A Local Motors já imprimiu um carro em 3D. A Ford usa vários materiais e protótipos para criar simulações que melhorem o seu processo de fabricação e a qualidade de seus carros.

Um objeto 3D impresso é o resultado de ter sido criado como um arquivo 3D. Como um arquivo do Word, não há nada para impedir que uma empresa de automóveis crie digitalmente um novo pára-choques ou espelho de carro em uma loja de impressão. No futuro, vamos partir de protótipos para produção.

Richard:

4 – Como seria seu carro do futuro ?

O meu seria um hibrido de luz solar e elétrico, mas eu ainda estaria no controle do carro, eu dirijo hahaha.

Paul:

Se o carro é todo ou parcialmente elétrico, híbrido, solar, ou de combustível fóssil tradicional deve depender do uso dos proprietários,  preocupações ambientais e custos.

Sinceramente, eu gosto do modelo Tesla. Hoje, as empresas de automóveis vendem um carro e passam os próximos 3-5 anos lhe dizendo porque o carro precisa ser substituído. O carro é um produto morto quando chega em sua calçada. A Tesla vende um carro e promete que eles vão melhorar o produto durante os próximos 8 anos ou mais, tornando-o melhor do que foi no dia que você comprou. Eles podem melhorar o carro e realizar manutenção pela internet enquanto você dorme. Pense no smartphone. Todos nós temos um, eles chegam da mesma forma para todos, mas o usuário os torna mais úteis, mais pessoais. O produto evolui e se torna melhor com o tempo.

Eu também quero o meu carro para ser “autônomo”. Isso nos leva para a internet das coisas (IoT) porque um carro autônomo inteligente precisa de infra-estrutura inteligente (por exemplo, estradas). Se o meu carro pode me conduzir, eu posso fazer o trabalho, ser multitarefa, ou ele pode pegar membros da família, sem que eu perca tempo produtivo. Na verdade, ele pode mudar o modelo de propriedade de carro. Talvez novos negócios sejam iniciados de forma que não possuímos o nosso carro, mas um carro autônomo nos pega quando precisamos e, em seguida, pega outras pessoas. Torna-se um modelo de aluguel (Uber) e não um modelo de propriedade. Podemos tomar um carro esportivo conversível para a praia, ou um sedan quando o tempo pede, ou até mesmo um SUV, ônibus ou limusine quando temos uma grande festa. Use sua imaginação e apenas sobre como isso pode ser flexível. Usamos modelos de aluguel agora para ouvir música e assistir filmes. Por que não expandir esse número para um carro? Eu não pago mais por manutenção – Acabei de conseguir esse benefício.

Então, onde a impressão 3D pode fazer uma diferença impactante? Será capaz de impressão partes reprogramáveis ​​como um pneu. Veja minha explicação abaixo de impressão 4D.

Richard:

5- E Como seria sua casa do Futuro ?

A Minha não conto porque me chamaria de louco hahaha.

Paul

Temos temporizadores e sensores nos lares, que podem controlar luzes (às 20:00), ou até mesmo ter o seu ar condicionado ligado em horários fixos ou temperaturas.

Eu quero a minha casa para ser mais auto-conscientes. Preenchendo a nossa casa com sensores inteligentes e receptores será possível ter uma casa do futuro a operar de forma mais eficiente. Minha casa deve saber quando é o horário de Verão, quando acender as luzes, quando deve ligar o aquecedor ou ar condicionado e estar ciente de se as pessoas estão em casa. Ela deve saber que eu quero jantar para estar pronto quando eu chegar em casa, e ligar o forno quando estou no meu trajeto para casa. Minha máquina de secar roupa deve encontrar qualquer meias perdidas ou desaparecidas. Todas as minhas plantas devem ter sensores de água para acionar quando elas precisam ser regadas com o nível certo.

Ter que orquestrar tudo isso, dizendo a minha casa para ligar luzes, AC  através do meu iPhone (Richard: ok eu juro que pensei em retirar esta parte da conversa haha) ainda está me forçando a fazer alguma coisa. Eu quero uma casa inteligente. A casa inteligente deve saber o que fazer (inteligência artificial).

Richard:

Desculpe tantas perguntas sobre impressora 3D, mas tenho um fascínio especial por elas e ainda terei uma dentro de casa hahaha.

Paul:

Então, vamos responder a uma pergunta que você não perguntou. Para onde vai a impressão 3D? Uma área é a impressão 4D. Em essência, a “quarta dimensão” representa mudança, a impressão 4D simplesmente refere-se a impressoras que criam objetos que podem se transformar ao longo do tempo e, em alguns casos, se auto-montarem.

Isto é a Programação de materiais que podem se transformar. A quarta dimensão na impressão 4D se refere à capacidade de objetos materiais em mudar de forma e função depois que eles são produzidos, proporcionando assim recursos adicionais e aplicações orientadas para desempenho. Imagine um mundo em que os objetos materiais sólidos podem se transformar em novas formas ou alterar as propriedades sob o comando de um indivíduo ou em resposta pré-programada à mudança das condições externas, como temperatura, pressão, vento ou chuva. Esse mundo está no horizonte.

Impressão 4D é uma nova tecnologia de ruptura que pode levar a impressão 3D a um nível inteiramente novo de capacidade, com profundas implicações para a sociedade, a economia e o ambiente – de governos e empresas. Programmable Matter (PM), aqui descrito como 4D Printing (4DP), tem as implicações econômicas, ambientais, geopolíticos e estratégicos da impressão 3D, oferecendo novas oportunidades sem precedentes na transformação de recursos de informação digital do mundo virtual em objetos físicos do material mundo.

Impressão 4D pode ser extremamente útil para instalações em ambientes extremos, a partir do espaço exterior para locais subaquáticos. Materiais enviados para o espaço poderiam ser programado para se transformarem, sem qualquer intervenção humana no local. Além disso, com a tecnologia ‘impressão 4D’, os limites entre hardware e software estão se tornando cada vez menores. A distinção hardware / software é provável que se torne cada vez mais obsoleta como matéria física que pode cada vez mais ser controlada por linhas de código.

Exemplos de impressão 4D são objetos que podem mudar de forma quando inserido em água ou exposto à eletricidade e sensores com nano-materiais incorporados que mudam de cor quando expostos a diferentes fontes de luz 3D impresso impresso. Móveis que se montam, não é necessário chave de fenda. Edifícios com a capacidade de reparar-se quando algo dá errado

Já que você mencionou carros – imagine um conjunto de pneus em seu carro onde você dirige no pavimento seco na parte da manhã, apenas para voltar à noite com estradas escorregadias de chuva. Se programado com material inteligente, o pneu pode responder à água e umidade e se transformar em um pneu que abraça a estrada de forma mais agressiva, tornando-se uma forma mais inteligente e mais seguro.

Este (4D) é a promessa de impressão 3D. Fazendo produtos que não podem ser feitos por métodos tradicionais.

É isso ai pessoal, queria agradecer ao Paul pelo tempo para esta entrevista, e claro a Priscilla Fiorin que sempre me ajuda quando preciso.

Abraços e muito obrigado!!!!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.