Tempo para Leitura: 3 minutos

No Reino Unido, há 6 anos atrás, a placa Raspberry Pi foi lançado. Aos que não conhecem, essa ferramenta é um mini-computador, que cabe na palma da mão e permite conexão com monitores de computador e televisores. O Raspberry possui um hardware integrado em uma única placa e inclui processador, memória RAM, entrada ethernet, saída HDMI e também é possível inserir um cartão SD para armazenamento de dados. Sistemas operacionais baseados em GNU/Linux rodam com facilidade na ferramenta.

Raspberry Pi
Raspberry Pi

O objetivo inicial da placa Raspberry Pi é o de facilitar o ensino de linguagem de programação para leigos, principalmente crianças, já que é um miniprocessador para desenvolvimento de softwares. Entretanto, com seus inúmeros usos, também é possível usá-lo para criar uma central de jogos: programas para o computador, como o Retropie e o Recalbox,  disponibilizam os principais games do Atari, Super Nintendo, Mega Drive, Game Boy, Nintendo 64 e até da primeira versão do Playstation. E tudo isso em uma vídeo game portátil, que geralmente custa menos do que R$300.

Como criar um vídeo game com Raspberry Pi

Para criar o seu próprio emulador de consoles, é necessário, primeiramente ter o Raspberry Pi 2 e fazer download do programa Retropie ou do programa Recalbox. O Retropie é uma versão do sistema operacional Raspbian exclusivamente configurada para exibir interfaces de emuladores, jogos e computadores antigos. Ele nasceu com a ideia de transformar o Raspberry em uma espécie de console retrô de games. O Recalbox possui a mesma função. É uma ótima e nada complexa oportunidade de unir as duas ferramentas para sentir um pouco de nostalgia da infância ou de apresentar para os seus filhos os primeiros games criados.

Atari
Atari

Você pode adquirir o seu Raspberry Pi 2 pela internet. A faixa de preço da ferramenta varia entre R$200 e R$250, mas também é possível importar o produto por até $35. É importante ficar atento para não comprar modelos antigos: o indicado para criar o emulador é o modelo 2. Outras ferramentas que serão usadas na criação: cartão de memória microSD, fonte com USB fêmea, cabo micro USB, cabo HDMI, teclado e mouse USB, pendrive, leitor de cartão MicroSD e, claro, um joystick com saída USB.

 

O Raspberry Pi 2, alimentado pela fonte  com USB, funciona como um console. Ele lê os arquivos no cartão de memória, onde ficarão armazenados os arquivos os games e as configurações, e também faz o processamento do videogame, armazena os comandos que são feitos pelo joystick e transmite as imagens para a monitor através do cabo HDMI.

 

Passo a passo para criar um videogame portátil

Não é tão complexo, certo? Após reunir os materiais,  é hora de colocar a mão na massa. Os passos são bem simples:

 

  • Fazer download do programa escolhido (Retropie ou Recalbox)
  • Formatar o cartão microSD
  • Copiar o conteúdo do programa no cartão microSD
  • Conectar o cartão microSD no Raspberry PI 2
  • Configurar o joystick
  • Instalar os jogos desejados
  • Curtir o seu novo video game portátil!

 

Conheça mais sobre o Raspberry Pi

Para quem não tem familiaridade com o Raspberry PI, mas quer muito fazer a própria central de jogos, é indicado que assista um curso para conhecer todas as possibilidades da ferramenta. Afinal, é possível usar o microprocessador para desenvolver muitos outros programas, inclusive os que interagem com o mundo físico.

Para isso, saber como instalar sistemas operacionais no Raspberry PI, como criar programas usando Python, como realizar tarefas via linha de comando e criar circuitos eletrônicos simples é essencial. Se interessou em explorar todas as outras oportunidades de execução que a ferramenta oferece? Então este curso é para você!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.