A Ford realizou em São Paulo um seminário sobre pesquisa e avanços em segurança veicular. Participou do evento Thomas Lukaszewicz, que comanda a área de direção automatizada do Centro de Pesquisa e Engenharia Avançada da empresa em Aachen, na Alemanha. Entre os assuntos abordados, o executivo prevê a chegada dos carros autônomos, os veículos que andam sozinho, sem a intervenção do motorista para 2020.

Em outubro, um protótipo autônomo da PSA Peugeot Citroën, percorreu o trajeto entre Paris – Bordeaux, sem intervenção do motorista, num total de 580 quilômetros.

No inicio de novembro, a Nissan iniciou os testes de um carro de condução autônoma em vias urbanas e rodovias. Chamado de Unidade Pilotada 1.0, tem como base o 100% elétrico LEAF. A previsão é de que em 2020, esteja pronto para o mercado.

O DriveMe, programa de carros autônomos da Volvo, testa soluções de conectividade em uma frota de 1.000 veículos que roda em dois países, Suécia e Noruega.

Nos Estados Unidos, Google e Apple contratam engenheiros automotivos e desenvolvem seus carros autônomos.

Estes exemplos são apenas alguns, porém existem muitos que estão sendo testados e não divulgados. E todos tem algo em comum, o ano do inicio das vendas do carro autônomo 2020!

Com o veículo que anda sozinho, viveremos em um mundo próximo ao mostrado nos filmes de ficção cientifica das décadas de 70, 80 e 90. Vale assistir pelo menos o trailer de “O Demolidor”, blockbuster lançado em 1.993 estrelado por Sylvester Stallone, Wesley Snipes e Sandra Bullock.  A história se passa em 2032, uma época sem crimes, com apenas uma corporação no comando.

Neste clima de paz, Simon Phoenix (Snipes), o bandido sanguinário é libertado da prisão criogênica onde foi colocado em 1.996. Num mundo sem armas, com carros que andam sozinhos é só dizer para onde quer ir que ele traça a rota e leva os passageiros em segurança, Phoenix toca o terror. Ai a policial Lenina Huxley (Bullock), uma estudiosa da década de 90, tem a feliz ideia de descongelar John Spartan (Stallone), um policial da mesma época que foi condenado injustamente, para cobater o vilão do passado. Bom se ficou curioso, assista o filme, porque não vou contar o final.

E voltando aos carros autônomos, já que a vida não é um filme, antes de chegar a estas condições de veículos com inteligência artificial, muita pesquisa e dinheiro terão que ser investidos.

Para que o veículo funcione, depende de uma extensa rede de dados que interligue, ruas, rodovias, estradas, carros caminhões, ônibus, com sinais de GPS, telefonia celular, nuvens de informações.

Esta rede irá mostrar caminhos, traçar rotas, evitar congestionamentos , entre outras funções, e ela deve ser imune a hackers. Também depende da legislação. No caso de um acidente, quem é o culpado?

O ocupante que estava lendo as noticias no tablete e não percebeu que o veículo que estava a frente parou?  O desenvolvedor do sensor, que falhou na leitura?  O satélite que mandou sinal errado, ou os freios que falharam por causa de uma interferência eletrônica?

Todas estas questões, e mais algumas que surgirão, terão que ser solucionadas, antes do veículo que anda sozinho chagar nas mãos do consumidor. Mesmo assim, as fabricantes de veículos estipulam o ano de 2020 para a chegada desta maravilha tecnológica.

Quem viver, verá!

Por: Edison Ragassi

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.