Os equipamentos dos aerogeradores que darão forma ao parque eólico da Honda Energy do Brasil já estão a caminho do site localizado na cidade de Xangri-lá, no Rio Grande do Sul. Importadas dos Estados Unidos, China e Dinamarca, as peças chegaram pelo porto de Imbituba, em Santa Catarina, onde foram descarregadas e organizadas para o transporte rodoviário, iniciado nesta semana.

Diariamente, as carretas deixarão o porto, com intervalo de 1 hora entre as saídas, rumo ao parque de Xangri-lá, percorrendo um percurso de 270 km. Ao todo, serão transportadas 27 pás, 9 torres e 9 naceles, parte instalada no alto da torre do aerogerador composta de caixa de engrenagens, gerador, controle eletrônico e transformador.

Os equipamentos da Honda Energy serão um dos maiores do Brasil. As torres têm 94 metros de altura e o ponto mais alto do conjunto alcançará 150 metros. Cada pá, por sua vez, possui 55 metros e 15 toneladas. Para deslocá-las, foi organizado um esquema especial com carretas extensíveis que garantem um transporte sem danos ao equipamento. Toda a operação logística deve durar cerca de três semanas e será escoltada pela equipe de segurança rodoviária credenciada.

A montagem dos aerogeradores está prevista para começar ainda no mês de agosto. As obras do parque estão 67% finalizadas e seguem de acordo com o cronograma previsto. “Hoje, somos um time de 130 pessoas, entre colaboradores diretos e indiretos, empenhados em garantir que o padrão de qualidade e respeito ao meio ambiente da Honda esteja presente em todas as etapas do projeto. Estamos muito satisfeitos com o andamento da obra e devemos iniciar as operações do parque já neste segundo semestre”, afirmou Carlos Eigi Miyakuchi, presidente da Honda Energy do Brasil.

O primeiro parque eólico da marca, que conta com investimentos na ordem de R$ 100 milhões, terá nove turbinas, de 3MW cada, com capacidade instalada de 27MW. Isto representará a geração de 95.000 MW/ano, o equivalente ao consumo de energia de cidades com aproximadamente 35 mil pessoas. Com o projeto, a empresa deixará de emitir 2,2 mil toneladas de CO² por ano, o que representa aproximadamente 30% do total gerado pela fábrica, que possui capacidade instalada para a produção anual de 120 mil automóveis.

Esta é uma iniciativa inédita no segmento automotivo brasileiro e no grupo Honda em todo o mundo. “Desde que iniciou a produção no Brasil, em 1976, a Honda tem se empenhado em contribuir com a sociedade brasileira e minimizar os impactos ambientais de suas atividades. A produção de energia limpa se soma a diversas outras inciativas realizadas em nossas fábricas, escritórios e redes de concessionárias para reduzir as emissões de CO2 em nossas operações”, destacou Eigi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.