Ford evolui para se tornar uma empresa de mobilidade com a produção de veículos inteligentes

O CEO da Ford, Jim Hackett, anunciou para investidores que a empresa vai melhorar seus custos operacionais, reorientar o investimento de capital e acelerar o desenvolvimento de veículos e serviços inteligentes. “A Ford foi construída com a crença de que a liberdade de movimento impulsiona o progresso humano”, afirmou Hackett. “É uma crença que sempre alimentou nossa paixão por criar ótimos carros e caminhões e hoje impulsiona nosso compromisso de nos tornarmos a empresa de mobilidade mais confiável, desenvolvendo veículos inteligentes para um mundo conectado, que ajude as pessoas a se moverem livremente com mais segurança e confiança”, complementou.

Reiterando sua meta de longo prazo de uma margem operacional de 8% no mercado automotivo, a Ford diz que vai adotar  profundas mudanças tecnológicas. Para isso, a empresa está ampliando seu escopo, desenvolvendo veículos e serviços com foco no ser humano. A empresa aproveitará seus pontos fortes, como a integração de hardware e software em dispositivos complexos, sua escalabilidade e a confiança na marca Ford.

Até 2019, a previsão é de que 100% dos novos veículos da Ford nos Estados Unidos sejam produzidos com conectividade. A empresa também tem planos agressivos para a China e outros mercados, já que 90% dos novos veículos globais da marca terão conectividade até 2020.

A companhia também está contendo a alta de custos automotivos em 50% até 2022 com medidas como o aumento do uso de peças comuns a toda a linha de veículos, reduzindo a complexidade dos pedidos, construindo menos protótipos e alocando US$ 7 bilhões do segmento de automóveis para o de utilitários esportivos e picapes, incluindo a Ranger e o EcoSport na América do Norte. A empresa planeja ainda produzir a próxima geração do Focus para a América do Norte na China, economizando investimento de capital e custos.

Além disso, a marca está reduzindo os gastos com motores de combustão interna em 30% e redistribuindo esse investimento em eletrificação – em cima do investimento de US$ 4,5 bilhões anunciado anteriormente. Recentemente, a empresa anunciou uma equipe dedicada a veículos elétricos, o “Time Edison”, focada exclusivamente na criação de um ecossistema de produtos e serviços para este tipo de propulsão. Essa iniciativa reforça o compromisso da Ford em entregar 13 novos veículos eletrificados nos próximos cinco anos, incluindo a F-150 híbrida, o Mustang híbrido, a Transit Custom híbrida plug-in, um veículo autônomo híbrido, um carro de polícia híbrido e um utilitário esportivo compacto elétrico.

“Por ser uma empresa que está há muitos anos no mercado, com várias décadas de sucesso, a decisão de mudar não é fácil nem culturalmente, nem operacionalmente. Em última análise, porém, devemos entender que as virtudes que nos trouxeram sucesso ao longo do século passado não significam uma garantia de sucesso no futuro”, analisou Hackett.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here