Tempo para Leitura: 3 minutos

O fim de semana foi daqueles para não se esquecer. Mesmo com o terremoto que assolou a costa da Califórnia, a imprevisível corrida em Sonoma garantiu, para esse sábado, um encerramento de temporada daqueles, com quatro pilotos ainda no páreo para conquistar o campeonato e um quinto, no caso o Dixon com chances muito pequenas, mas que existem.

A temporada chega ao seu final, com um ingrediente que faltou ao Will Power em 2010, 2011 e 2012, a sorte de campeão e que mais uma vez faltou ao Helio Castroneves, que até agora repete a campanha do ano passado com apenas uma vitória na temporada. É realmente muito pouco para quem, um dia, ainda sonha ser campeão, quem sabe se ousar e arriscar mais e administrar menos, a sorte lhe sorri?

Na corrida do fim de semana, o fator estratégia foi determinante para o resultado final. O Scott Dixon e sua equipe são realmente imbatíveis quando se trata de economizar para poder gastar quando precisa. No jogo de xadrez que é uma corrida, eles conseguem movimentar as peças com grande destreza e, quase sempre, o neozelandês chega à frente dos mais afoitos. Pena ele ter acordado para o campeonato tão tarde, se tivesse feito antes, talvez pudesse estar na última etapa com mais chances. Teve também, como eu disse antes, o fator sorte, sim, pois o Power conseguir rodar sozinho, não bater em ninguém, voltar para a corrida em vigésimo e acabar em nono, quer mais prova que isso?

Na noite de sábado vai acontecer a etapa derradeira, as 500 milhas de Fontana, valendo o dobro de pontos e um título para se comemorar até março do ano que vem. Power é o favorito, Helinho é quem precisa se superar e contar com uma classificação ruim do australiano para quebrar a escrita, mas, sendo realista, tá muito difícil, mesmo assim, devem acontecer muitas batalhas nessa guerra e não dá para perder essa etapa por nada!

Quem também não está a fim de perder por nada é o Nico Rosberg. Apesar dos comissários acharem que foi um choque normal e o Hamilton ter o azar de furar um pneu, serem coisas de corrida, eu não concordo, acho que na verdade foi uma malandragem do alemão. Claro que ele deixou o carro escapar um pouco pra dar aquele “totózinho” no inglês, talvez não contasse com o furo no pneu traseiro, mas que quis desequilibrar o adversário, ah isso quis.

Se a FIA não faz justiça e acaba com a festa, a equipe acaba. Como os pilotos não entenderam direito quando a Mercedes disse que o jogo estava aberto e pediu para eles lutarem na pista, a casa alemã, como era de se esperar, já botou as coisas nos seus devidos lugares e informou aos dois que, a partir de agora, as ordens virão dos boxes e que ambos vão ter que cumprir. Essa lambança que os dois estavam fazendo na pista, custou ao time dois resultados ruins e isso toca sinal de alerta em qualquer equipe, seja grande ou pequena.

Os que não tinham nada com isso e tiraram vantagem foram o Ricciardo e o Bottas. O australiano venceu a terceira no ano, a segunda em seqüência, e o finlandês subiu mais uma vez no pódio, aumentando o valor do passe, virando objeto de desejo da McLaren e deixando o Massa com a casca de banana na mão. Mais uma vez ele veio com desculpas pelo resultado ruim. Agora foi a vez do pedaço de pneu que ficou preso no carro e atrapalhou as voltas dele, pedaço esse que foi encontrado e retirado no terceiro pit-stop. Tudo isso acontece com ele porque ele treina mal, se classifica mal e fica sempre sujeito a eventos do pelotão intermediário.

Bottas consegue ser muito superior ao brasileiro, inclusive porque treina menos, em algumas sextas-feiras ele teve que deixar o carro para o Felipe Nasr e a Susie Wolff treinarem, andou muito menos que o companheiro e faturou muitos pontos mais, é o responsável direto pela atual classificação da Williams, e provocou no narrador e comentaristas da TV Globo frases do tipo “ESSE BOTTAS É MUITO BOM PILOTO”. Olha, talvez nem seja, mas é aplicado, consistente, dedicado e esta sempre à disposição da equipe, em comparação ao outro, está anos-luz à frente.

Vou ficando por aqui, no fim de semana a Indy acaba em 2014 e tem também mais um show da MotoGP na Inglaterra, no mítico circuito de Silverstone. Com o Marc Marquez mais livre dos recordes que deveria quebrar, a corrida promete, e eu conto tudo na terça!

A gente se encontra na semana que vêm!

Beijos & queijos

Texto: Eduardo Abbas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.