Tempo para Leitura: 4 minutos

Bom amigos, de volta a SP, finalmente posso colocar as fotos, pois lá do Hotel Transamérica na ilha de Comandatuba, a internet era pessima, entre outras coisas de la tambem.

Mas não estou aqui  para criticar o Hotel, que deixa muito a desejar, mas sim do belo HB 20.

Se eu falar que não estou totalmente apaixonado pelo carro, e que pretendo de alguma forma até o fim do mes que vem tentar estar com o meu exemplar, eu estaria mentindo, mas vou  fazer o post da forma mais imparcial possivel hehehe

Bom pude testar os 3 modelos, 1.0 manual, e 1.6 manual e automatico, e posso falar que todos os 3 não fazem feio nao.

Pude andar 360 km com os carros com uma média de 120km com cada um dos carros.

Todas as fotos irão no fim do post ok ?

Bom o primeiro que peguei junto com o Rafael da Motorsport, foi a versão 1.6 manual, veio completo, ar, direção vidros e tudo mais. E de cara o motor do Veloster, que vem dentro do capo do HB 20, mostrou o porque ele se encaixa perfeito no carro, otima arrancada, com aceleração constante, o carro se mostrou extremamente rápido, e esperto, com trocas suaves e mesmo dando uma apimentada no modo de dirigir o HB 20 não mostrou falta de folego, até usarmos a 5ª marcha, onde nessa hora com o ar ligado o motor mostrou um pouco de falta de folego, sende preciso retomar a 4ª marcha para recuperar o giro, mas nada que faça o HB ser desacreditado, com uma velocidade média de facil alcance de 130 km, e com picos de 170km por hora o carro não foi muito economico, mas estava pisando fundo e com ar ligado, e os carros eram novos, e no alcool, talvez por isso o alto consumo. o Carro fez 5.9 por litro.

O HB 20 se mostrou firme e grudado no chão até ultrapassar os 160 km por hora quando passei a sentir que não tinha o carro na mão no volante, e resolvi tirar o pé e rapidamente ele “sentou” novamente no chão.

Sua direção é extremamente leve, e com cambio com engates precisos.

Depois resolvi andar com o 1.0, mas acho que devia ter pego ele primeiro e depois o 1.6. Acabei diversas vezes cortando o combustível no limitador, pois o giro subia muito rapido, bem diferente do 1.6, mas depois de alguns minutos para se acostumar com o novo motor, a gente passa a trocar as marchas sem dificuldades. O HB 1.0 responde bem quando pisamos fundo, tem boa retomada, e ao contrario do seu irmao 1.6 ele não perde potencia na 5ª marcha, mantendo a mesma estabilidade e conforto, consegui atingir 150 de velocidade máxima com ele, o que já está bom demais, pois não temos mesmo onde correr tanto.

Por ultimo andei com a versão 1.6 automática, que era um verdadeiro foguete, chegando aos 215km por hora sem muita dificuldade, apesar do motor estar gritando muito acima dos 180, e perder a mão do carro acima dos 190, mas como disse acima a gente não precisa de tudo isso de velocidade.

A Hyundai, ao contrario de certos fabricantes, não veio com um interior pobre, mal acabado e totalmente fora dos seus padrões de qualidade, mesmo o 1.0 básico, vem bem acabado, em todos os detalhes, até o painel do carro não tem cara de algo tosco, como de outros.

Realmente faltou pouco para o carro perfeito, mas se fosse perfeito não teria graça, e o que não gostei foi o consumo do carro, a altura da porta, na parte dos vidros, o que não deixa a gente colocar o braço para apoiar na porta, pois é muito alto.

E claro como não iria ser diferente, o radio e os falantes são um lixo, me desculpem mas um lixo mesmo, o Radio toca MP3, tem entradas para ipod (que não funcionou) e para pen drive, mas não tem Bluetooth para usar o celular direto pelo radio, e isso acho que já é item obrigatório, e nisso a Hyundai pecou feio, mas ainda bem que temos a opção de nao comprar o carro com o rádio. nem com os falantes, que são fracos, e basta aumentar um pouco o som para que tudo fique rajando, mas isso não é problema apenas do HB 20, quase todos os carros tem o mesmo problema, o radio e o falante são sempre uma porcaria, mas ainda bem que é algo que podemos resolver de forma facil!!!

A Hyundai pensou nos detalhes, pensou na parte externa e interna, e tambem nos preços que vao de 32 a 44 mil reais, e é fabricado no Brasil o carro, apenas o motor é importado.

O que gostei:

ACABAMENTO, QUALIDADE, PREÇO, BELEZA, ACESSORIOS, ITENS DE SÉRIE, CORES, MOTOR, AR CONDICIONADO, DIREÇÃO, CUIDADOS COM OS DETALHES

O que não gostei:

CONSUMO, ALTURA DA PORTA, RADIO E FALANTES.

VALORES:

CORES:

FOTOS:

12 COMENTÁRIOS

  1. Você disse que não tinha o carro no volante com o carro acima de 160 km/h na versão de cambio manual, já na versão automática ocorreu acima de 190 km/h.
    Você saberia me dizer por que dessa diferença?

  2. Carro simpático mas não e´tudo isso muita mídia em cima do mesmo,carro é pequeno
    acabamento interno igual de muitos carros nada de excepcional mas bem acabado,ótimo som e o diferencial dos nacionais é a garantia 5 anos e oferece mais itens de fabrica,muitos daqueles que compraram vão adorar e outros não por terem comprado os primeiros carros no escuro.

  3. Só uma coisa: Sandero GT Line a 175km/h, com o carro na mão pois ele é mais largo e no chão. Bem mais barato, (não tanto) mas bonito também, rede concessionária extensa e boa (embora digam o contrário). Som de qualidade boa (não racha mesmo em PSY trance torando). Gostoso de dirigir e espaçoso.
    Vários criticam, mas critiquem após dirigir um. Gostei de primeira. Carro tem gosto também, e querem uniformizar o seu gosto e vender milhões de HB20.

    • Não Carlos, não trabalho, oque disse é que gostei do carro e do preço pelo que ele oferecia, quando foi lançado e antes de muitos outros carros chegarem no mesmo valor
      mas continuo gostado do carro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.