Não Abandone um animal.

No Brasil estima-se que existam mais de 30 milhões de cães e gatos em situação de abandono, segundo números da Organização Mundial da Saúde. Esta estimativa é formada principalmente por animais perdidos ou intencionalmente deixados na rua por seus donos. Dado o impacto da situação para a saúde pública nas cidades, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) está lançando a campanha ‘Quando a gente gosta é claro que a gente cuida’, com o objetivo de conscientizar a sociedade sobre o cuidado com os animais de estimação e as consequências do seu abandono.

O tema dos animais de rua é relevante principalmente nas grandes cidades. Em São Paulo, por exemplo, apesar de não haver dados oficiais sobre o número de cães e gatos abandonados, são recolhidos mais de 500 animais por mês por abrigos ou instituições de acolhimento de pets. Estatísticas que atestam a dimensão do problema.

Para a médica-veterinária Dra. Vânia de Fátima Plaza Nunes, presidente da Comissão de Médicos-veterinários de ONGs do CRMV-SP, um futuro tutor de pet deve avaliar bem a decisão de adotar um animal doméstico.

“A relação entre homem e os animais domésticos é muito forte e vai além do fator físico-biológico. Os cães, por exemplo, têm necessidade de conviver com as pessoas. E quando há um rompimento, um abandono, o sofrimento psicológico acaba sendo o principal problema para eles. Por isso, é essencial avaliar a compra ou adoção de um animal doméstico com muita calma”, avalia a Dra. Vânia.

O abandono de animais é um problema global que merece atenção de toda a sociedade. É preciso um maior comprometimento de todos com relação a saúde e o bem-estar dos animais, assim como com a saúde humana e ambiental”, afirma o Dr. Mário Eduardo Pulga, presidente do CRMV-SP.

De acordo com Pulga, quando os animais estão sem cuidados também existe uma ameaça à saúde humana e ambiental, os outros dois pilares que, junto com a saúde animal, compõem a Saúde Única. “Os animais abandonados estão mais suscetíveis a maus-tratos, a acidentes e, principalmente, a doenças, que podem ser, inclusive, uma ameaça para outras espécies, como animais silvestres, e para a saúde humana. Segundo a OMS, mais de 70% das doenças emergentes e reemergentes são provenientes de animais, ou seja, são zoonoses.”

 

 

“A intenção com esta campanha é, de uma maneira lúdica, conseguir a conscientização e a educação da população sobre a importância da guarda responsável de animais”, relata Dr. Mário Eduardo Pulga.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here