Resolvemos ir perguntar para um veterinário sobre esse assunto, que é pouco falado, mas atinge muitos de nossos animais queridos.

Conversamos com o Veterinário Miguel Ziegler, da clínica Stetic Dogs

O que é convulsão?

Convulsão é um sintoma neurológico caracterizado por exacerbação dos estímulos elétricos das células do sistema nervoso, chamada axonios. Ela pode ser focal (atingido pequena parte do corpo) ou generalizada, quando a maioria dos músculos e glândulas são afetadas.

Qual a causa?

São diversas as causas, desde as não conhecidas, passando por doenças virais, bacterianas, tumores, traumas.

É genética ou existe uma causa ou fato que desencadeia a crise?

Como respondido acima são inúmeros  fatores que podem levar a convulsão, que é um sintoma e não uma doença.

A convulsão só acontece em cão epilético?

A epilepsia é caracterizada por pacientes que apresentam mais de um quadro convulsivo em um determinado período ou quando o quadro convulsivo é tão forte que pode comprometer alguma função do organismo ou até comprometer a vida. Nem todo animal que apresenta convulsão é epilético.

Gato também pode ter convulsão?

Apesar de ser mais raro, pode apresentar sim.

É possível prevenir?

Sim, existem medicações que controlam, diminuem ou até cessam as crises convulsivas, mas claro, tudo depende da causa da convulsão.

Quais os sinais que antecedem uma crise?

Chamamos essa fase de pré-ictus, alguns animais presentem o quadro convulsivo, ficam mais alertas, se escondem, andam mais atrás do dono. Há uma alteração comportamental que é possível mapear antes de uma crise

Há diferentes níveis de intensidade de convulsão?

Sim, como respondido inicialmente existem quadros que podem afetar uma pequena porção de um membro, um tremor involuntário, por exemplo. Até crises mais fortes que o animal saliva muito, deita de lado, se urina, defeca e faz movimentos involuntários com as patas, como se estivesse pedalando.

Independe da idade do cão?

Dependendo da causa, como trauma e cinomose, independem da idade. Mas causas como tumores cerebrais ou metastases são comuns em cães mais velhos.

Quanto tempo pode durar uma crise?

Entre alguns segundos a 5-7 minutos, no máximo.

O que  fazer durante uma crise?

O mais importante é proteger a cabeça do animal contra um trauma e de maneira nenhuma colocar a mão na boca do animal, devido ao risco de mordida.

Qual o risco que o cão corre durante a crise?

Caso não tenha nenhum trauma de queda, praticamente não há riscos durante a crise.

Qual é o tratamento?

Depende da causa.

É possível cessar as crises?

Sim, há medicamentos que controlam bem, a ponto do animal não apresentar mais crises.

Como a família pode conviver com as crises do cão?

Com acompanhamento especializado, medicando conforme a prescrição, na dose e horário certo. Na grande maioria dos casos, é possível o controle.

Qual a melhor atitude/comportamento no momento que ocorre a crise?

Proteger a cabeça e, em caso de muitas crises seguidas ou muito longas, procurar um serviço veterinário para controle com medicação injetável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.