Tempo para Leitura: 5 minutos

Uma coisa é fato, sempre que pego um JAC, escuto, mas esse chinês é bom? Já com aquele olhar de desconfiança.

Verdade seja dita, a JAC evoluiu muito desde que colocou o pé aqui nas terras tupiniquins.

Bom recebemos o JAC T6, para poder andar com ele por 7 dias, confesso que esperava menos do carro, então posso dizer que foi uma surpresa agradável.

Com um preço que parte de R$ 69,990, o T6 é imponente, é bonito, grande, com linhas italianas, mas lembra muito o IX35 da Hyundai. 

Na rua é quase impossível passar desapercebido, afinal ele é BEM GRANDE, é ALTO, e querendo você ou não, as pessoas dão aquela virada de cabeça para ver o carrinho.

O Acabamento do T6 posso dizer que melhorou mais de 100% em relação aos primeiros modelos da marca no Brasil. Tudo bem montado, encaixado certo, sem rebarbas, as portas todas bem alinhadas, nada que possa falar, é um carro que ao olhar de perto, dentro ou fora perceber que a JAC realmente se esforçou pra fazer dele um carro top de linha.

O Carro cabe muito bem 5 pessoas com conforto, como eu disse ele é um monstro, tem quase 4,50 de comprimento, quase 2 de largura e quase 1,70 de altura, cabe confortável 4 pessoas, e 5 sentam de forma satisfatória.

Vamos falar um pouco da parte de fora do carro, o T6 vem com farol com lente preparada para xênon, mas o modelo testado possuía lâmpadas comuns, e ajuste de altura do farol., tem acendimento automático do farol, e farol de milha. O formato do Farol dianteiro ficou muito bonito, está arrojado e ele se encaixa com harmonia no desenho do carro.

Nas lanternas traseiras o detalhe fica pelos leds, deixou simplesmente lindo o conjunto, não gostei do aviso de ré ser colocado na parte de baixo do carro, acho que ficou muito escondido, mas é questão de gosto.

O T6 vem também com led no espelho retrovisor, que pode ser rebatido, mas não de forma automática, você precisa apertar um botão, ok, eu realmente não entendi isso haha, podia ser automático quando se desliga o carro, e no botão caso eu tivesse que recolher para estacionar em vaga apertada por exemplo.

O T6 vem com roda aro 17, que eu acho que a JAC precisa melhorar o desenho, pelo menos pra mim, não combina muito com o carro, ele merecia algo mais agressivo. E seus pneus 225/60 são chineses, e confesso que escorrega um pouco, acho que tinha que ter uma marca melhor para o carro, pois ele é alto, é grande e escorregar não é algo muito legal de sentir no carro.

O T6 vem com ABS e EBD, e airbag, direção elétrica muito leve mesmo, ar condicionado, na versão que testamos vem com sistema de som Bluetooth, câmera de ré e sensor de estacionamento e fixação Isofix pra cadeira de bebê no banco traseiro.

Por dentro do carro a gente vê que a JAC tentou fazer um carro bonito, moderno e confortável, a direção tem ajuste apenas de altura, mas é firme, o ar condicionado não é digital nem dual zone, mas GELA, aliás ar condicionado parece ser uma especialidade da JAC, desde o primeiro modelo no Brasil, testei centenas de carros e poucos, mas poucos mesmo tem um sistema de ar condicionado tão rápido para gelar como o da JAC, e eu adoro ar condicionado haha, e gelar rapidamente um carro do tamanho do T6, tem que dar os parabéns para a empresa.

O painel está diferente, mostra ainda informações básicas, mas é de fácil leitura e não é cansativo, um detalhe é ver o carro informar que marcha você deve usar para ser mais econômico, detalhe que o carro é MANUAL, um dos poucos pontos negativos para a JAC, um carro desse porte, deveria ter pelo menos a opção de ser automático.

Com acabamento em Black piano e com os comandos de fácil acesso é confortável o uso na cidade, mas o espelho retrovisor interno eu achei extremamente pequeno, acho que tinha que ser maior pelo tamanho do carro.

Os bancos do carro poderiam ser de couro, acho que qualquer carro acima de 69 mil tem que vir, são confortáveis, mas um pouco apertados, e no meio deles temos o famoso porta trecos, cabe bem as coisas dentro, mas poderia bem acomodar ali um sistema refrigerado pelo ar para gelar bebidas haha, bom, isso é questão do que eu gostaria que o carro tivesse.

Sua central multimídia, na versão escolhida é simples, mas funcional, tem radio aceita cartão de memória e Bluetooth, tem também a opção de navegador, mas como veio sem o cartão do mapa não pude testar.

Uma das coisas que sempre critiquei nos carros da JAC, eram seus falantes, não existe no mercado, nenhum fabricante com falantes tão ruins, usar o som do celular é melhor que os falantes do carro. Mas a JAC pelo visto percebeu isso, e no T6 os falantes são bons, claro, uma melhoria de uns 1000% em relação aos outros testados, dá pra escutar bem as músicas no carro, ainda são bem simples, mas a melhoria foi tanta que dá pra escutar as músicas sem passar nervoso, espero que isso venha nos outros modelos da marca também.

O sistema multimídia tem integração no volante, ou seja, dá pra trocar as músicas pelo volante sem precisar tirar a mão dele, atender ligações também é possível pelo volante,

Configurar o S6 no sistema do JAC foi bem simples, bastou pesquisar e emparelhar, e pronto.

Ainda no sistema temos a câmera de ré, mas uma curiosidade, quando se engata a ré e entra na tela, a música some. Mas a câmera é muito boa, colocada no lugar certo, e da pra ver bem mesmo durante a noite, em um carro grande como o T6 isso ajuda muito, seus sensores de estacionamento trabalham muito bem, e a margem de folga é de mais ou menos 25cm, é suficiente para evitar aquelas batidinhas, principalmente enquanto você não se acostuma com o tamanho do carro.

Seu porta malas é bem grande, dá pra fazer a festa com ele, tem a tampa removível e uma rede para prender as coisas.

Seu motor é Flex 2.0, com câmbio manual, essa parte que não gostei, um carro desses precisa ter opção de automático, principalmente pelo conforto de quem dirige. Na minha mão fez uma média de 7 por litro, o que é muito, mas no álcool. Apesar disso o motor é espero, não fica deixando a gente na mão.

A suspensão do JAC não é muito firme, ou seja, o carro é mais confortável, e você não sente muito o piso, mas por outro lado, nas curvas você sente o carro “jogando ” um pouco, em partes acredito que seja um pouco de culpa do pneu escolhido, outra coisa que sinto, e isso já vem desde os primeiros JACs, é ao passar em uma lombada por exemplo, um pouco mais forte, você sente o amortecedor “bater” no fim do curso, isso me incomoda, mas nada que estrague o carro. Mas curiosamente isso vem desde o primeiro JAC.

Gostei do carro?

Sim, está bonito, muito melhorado, bem-acabado, é grande e imponente, tem um preço digamos legal para a faixa que ele pretende entrar, com coisas que modelos no mesmo valor não costumam ter como leds direção elétrica, Isofix por exemplo. Falta ainda algumas coisas, mas é questão de gosto isso.

Compraria?

Não. Mas não por não gostar do carro. Apenas não compraria por não ter cambio automático, hoje pelo menos pra mim é um item que não abro mão em um carro, é um conforto que vale a pena pagar um pouco mais, principalmente nesse transito caótico que temos em SP.

Vale a pena ir conhecer?

Vale, se você pretende trocar de carro, se sua faixa está entre 69 a 75 mil, e não liga de não ser automático, vale ir ver o carro, está bem-acabado, está bem montado, e sim é um chinês, cada vez mais, Brasileiro.

Abraços a todos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.