Tempo para Leitura: 8 minutos

Bom, alguns vão falar, mas o Richard odeia Bikes e ciclistas e ama carro, não é verdade.

Nada tenho contra ciclistas e bikes, apenas prefiro andar de carro, sim sou adepto ao conforto em vez de esforço físico, mas cada um tem o direito de escolher certo ?

Mas tenho um amigo o Fábio, ele é ciclista (viram como não tenho nada contra ciclista??)

O Fábio vai fazer o caminho de Santiago de Compostela, na Espanha de Bike, eu achei isso muito legal, mas antes de falar do Fábio, vamos tentar entender porque o Richard se interessou em um lugar que normalmente é feito caminhando e agora um amigo fazendo de Bike, duas coisas que ele não gosta de fazer.

Ok, vocês estão certos, eu não curto andar, e não curti andar de bike, vocês sabem comprei no fim do ano passado, e acabei desistindo, não é pra mim, paciência!!!!

Mas quando ele falou que iria fazer o caminho, de cara veio na minha cabeça um livro que li, faz uns 15 anos, o Caminho de Santiago, de Paulo Coelho, e estranho como lembro de praticamente todo o livro, e sempre tive vontade de fazer o caminho, em partes por culpa do livro, e também por conta da “fotografia” do lugar, vocês sabem adoro fotos de paisagens e animais.

Mas não tem como eu fazer esse passeio, não seria correto fazer um caminho desses todo de carro, pelo menos eu penso assim.

Então o Fábio comentou comigo que iria fazer, e conversando com ele, perguntei o que acha da gente fazer textos mostrando o passeio, com fotos, dicas e tudo mais?

Ele curtiu a ideia, conversamos mais um pouco para alinhar tudo e agora apresento pra vocês o Fábio, que irá fazer o Caminho de Santiago de Bike, são 800km e o Fábio vai trazer aqui pro Rmax, não apenas um texto sobre a viagem, mas como se preparar, o que precisa levar, como ir, e claro ele separou a viagem em partes, e teremos com exclusividade, textos contando esses trajetos, como comer, onde ficar, problemas que teve, e não iriamos deixar de ter belas fotos desta incrível jornada!!!

Ela vai começar em Outubro, mas até lá o Fábio vai contar aqui, detalhes desta jornada.

Prontos para entrar com a gente nessa Viagem ??

Então agora deixo o texto que o Fábio criou pra gente, para que possam conhecer um pouco mais sobre ele, e essa Jornada!!!!

*********

Meu nome é Fabio Bomfim Nunes, tenho 43 anos, casado, dois filhos(uma menina de 12 e um menino de 9 anos), sou analista de sistemas e praticante de esporte. A prática de esporte é algo relativamente recente em minha vida, um pouco mais de 5 anos. Iniciei pela corrida de rua, já fiz triathlon e hoje o que me atrai são as corridas de montanha ou Trail Run.

Gosto de aventura de um modo em geral e procuro na maioria das vezes conciliarmos a prática do esporte ao turismo. Afinal, quem não gosta de viajar? Graças a Deus a minha esposa acompanha nessas empreitadas.

Já de algum tempo tínhamos como objetivo fazer o caminho de Santiago de Compostela. No entanto o estilo de vida atual nos impede de conseguirmos tirar férias de 30 dias. O Caminho de Santiago comumente conhecido é feito a pé (Peregrino) que leva em média 30 dias para percorrer o Caminho. No entanto existe também a possibilidade de faze-lo de bicicleta (bicigrino) o que em média, segundo alguns relatos é possível cumprir em cerca de 15 dias. Como não “Temos todo tempo do mundo…”, optamos por fazer o Caminho de Bike.

O fator motivador ou inspirador dessa viagem possui uma razão pessoal para a minha esposa e para mim como marido um apoiador além pelo prazer pelo tipo de viagem que faremos. Turismo, esporte, lindas paisagens, cultura, a fé e o momento do casal.

Para realizar essa viagem eu precisava conhecer um pouco do Caminho de Santiago. Qual o caminho a ser feito? Qual Caminho? Sim. O Caminho de Santiago possui vários caminhos. Qual a sua distancia? Quanto tempo levaria para percorrer o Caminho? O que levar? Quanto de dinheiro levar? Onde dormir? Onde Comer? Que tipo de equipamento necessitaria para fazer o Caminho? Que tipo de preparação física e técnica? Qual a melhor época do ano para realizar o Caminho? E o principal, quanto custaria a brincadeira.

O meu trabalho de pesquisa seria extenso. O ponto de partida inicial foi buscar informações na Associação Brasileira dos Amigos do Caminho de Santiago (http://www.caminhodesantiago.org.br/) e Associação de Confrades e Amigos do Caminho de Santiago de Compostela (http://www.santiago.org.br/) .  O Site da AACS possui inúmeras informações a respeito do Caminho, mas o que mais gostei é que lá existe uma espécie de calendário de saída dos Peregrinos, muito importante e útil para a troca de experiências e informações. Você pode verificar quem já fez ou vai fazer o caminho na época e dia exato de saída de cada peregrino, de que forma a pessoa fez (a pé, bike, cavalo ou com veiculo de apoio), de que lugar é essa pessoa e o e-mail de contato. Não deixe de trocar e buscar informações com essas pessoas. As pessoas são muito solicitas e as informações são preciosas.

O Caminho que faremos será o Francês. Porque? Por ser o mais tradicional e o mais percorrido, além do fator pessoal atribuído a essa viagem que já mencionei. O Caminho Francês parte de Saint Jean Peid de Port e são cerca de 800Km.

Escolhemos como período para a viagem o mês de outubro pelos seguintes motivos: primeiro pelo tempo de preparo de toda a viagem e segundo que não seria recomendável ir no verão ou inverno. O verão seria muito quente para fazer essa viagem de bike e o inverno muito rigoroso e perigoso. No entanto não se engane em pensar que seria muito mais barato viajar numa baixa estação. É um dos períodos mais procurados pelos peregrinos e as passagens áreas para a Europa e principalmente Espanha são sempre caras.

Como iniciou a nossa preparação que por hora se resume em técnica e de planejamento da viagem?

Além de bisbilhotar o site da AACS e da ACACS-SP e outros Blogs que indico ao final, participamos de uma palestra sobre o Caminho oferecido por estas associações mensalmente. Ela trata especificamente para quem vai fazer o Caminho a pé, mas traz grandes informações, dicas, fala sobre equipamentos, o que levar etc. Recomendo a participação em uma destas palestras.

Para quem vai fazer o caminho de bicicleta, naturalmente não deseja passar por nenhum tipo de perrengue com a magrela, então tive que fazer um curso de mecânica básica de bicicleta. Fiz um curso na Pedal Power. É um curso extremamente recomendado. Eu sai do curso deslumbrado e doido para chegar em casa e desmontar a minha bike. Kkk.

Agora já tinha uma noção básica sobre peregrinação e sobre a bike. Precisa fazer um Teste-Drive, uma experimentação de como é fazer um bike tour longo para ter uma noção do que iriamos enfrentar (dificuldades técnicas e físicas) e tirar algumas lições antes de fazer o caminho propriamente dito. Para esse Teste Drive não fiz nenhuma preparação física especial, já tinha hábito de pedalar e condicionamento físico pelas minhas práticas de corrida. O ciclista de final de semana de ciclovia que não se engane. Fazer o Test Drive foi a melhor coisa a ser feita.

No Brasil já existem vários caminhos semelhantes ao Caminho de Santiago. Optamos também pelo mais tradicional caminho. O Caminho da Fé. O Caminho da fé originalmente parte de Aguas da Prata-SP até Aparecida-SP, são cerca de 320Km mas nos exigiria pelo menos 5 dias. Como não tínhamos todo esse tempo e gostaríamos de aproveitar o feriado de XXX de 4 dias. Iniciamos o Caminho de Andrada-MG (280Km até Aparecida). Fui muito otimista na minha estratégia. Eu não imagina o quanto difícil seria o percurso. Em um contato por e-mail que fiz com o organizador do site http://caminhodafe.com.br/principal.html ele me disse o seguinte: “Quem faz o caminho da fé faz o caminho de Santiago de ré”. Pensei que o cara estava de gozação. Enganei-me! Para ter uma ideia no primeiro dia eu estimava pedalar 70Km, conseguimos fazer somente 45Km.

Em resumo o Teste-Drive foi muito proveitoso e fica a dica. MENOS É MAIS. Todo o peso faz uma enorme diferença. E atenção aos homens que resolverem viajar com suas namoradas e esposas. Faça as malas dela ou se a deixar fazer às malas, que a última palavra e revisão seja a sua. Você não imagina a quantidade de coisas inúteis que elas levam num tipo de viagem destas. Uma viagem Teste lhe ajudara a mitigar os erros e riscos de uma viagem maior, ter uma noção do desgaste físico e o quanto de preparação física será necessário e a dimensionar melhor as etapas de sua viagem.

Que tipo de equipamento e o que levar numa viagem desse tipo?

Quanto ao equipamento, como vamos andar na grande maioria em terreno Off-Road uma Bike do tipo Mountain Bike, mas qual mountain bike? Esse mundo da bicicleta é vasto. Então se você não tem disponibilidade financeira o equipamento básico é uma Mountain bike de suspensão na dianteira, 21V marchas e freio tipo V-Break mas pelo menos escolha o equipamento schimano. A minha é uma KHS alite 350 e da minha esposa uma Caloi Elite 10, ambas aro 26 com suspensão na dianteira com regulagem, 24V, freio a disco mecânico. No entanto se você tiver disponibilidade recomendo bikes aro 29, 27V, freio a disco hidráulico, suspensão pode ser somente na dianteira de no mínimo 100mm, afinal você não vai fazer nenhum Down Hill, mas prefira equipamentos shimano. Se a sua disponibilidade é boa, vá sem bike e compre sua bike por lá mesmo. Infelizmente não poderei fazer isso. Resumindo uma bike aro 29 lhe proporciona uma pedalada mais suave com menor esforço, o freio a disco hidráulico lhe proporcionara uma frenagem mais segura e de menor esforço. Eu senti essa diferença ou necessidade dos freios hidráulicos ao fazer o caminho da fé. No último dia de Campos do Jordão à Aparecida você se depara com o maior percurso em descida íngreme da sua vida. Foi muito, mas muiiiito tempo simplesmente freiando, freiando e freiando. Quando cheguei ao final eu tive câimbras na mão direita. Se a minha bike tivesse freios hidráulicos com certeza eu não teria sofrido essa câimbras.

Além da bike você precisará de um BOM canivete multi-função com ao menos 12 funções (não economize ai, não precisa pegar o The Best, mas não vá de Ching Ling). Procure blindar sua bike. Peguei algumas dicas no curso de mecânica feito na Pedal Power. Utilize fitas anti-furo para proporcionar uma maior segurança aos pneus contra objetos pontiagudos. Quando fiz o caminho da fé os nossos Pneus não furou uma vez sequer, no entanto encontrei com dois ciclistas que fizemos amizade no caminho que no mesmo dia furos umas três vezes. Existe também uma câmera com selante show de bola. Vou colocar em nossa bike para o Caminho de Santiago. O selante tem a função de preencher os locais com furos. E claro certifique-se que seu pneu está em bom estado.

A instalação do bagageiro é necessária, mas tome cuido no momento da compra. Leve a sua bike para ter certeza e não levar um modelo que não sirva em sua bike. Se você possui habito de pedalar e já pedala ou pedalou com sapatilha, prefira a sapatilha. Eu gosto e prefiro. O pedal é mais eficiente com sapatilha, mas também não é o fim do mundo se for com a pedaleira normal. A minha esposa não tem habito e fez o caminho da fé na pedaleira convencional. Além dos equipamentos básicos de segurança como: capacete, lanterna traseira. A lanterna dianteira eu coloco como opcional. Como o objetivo é sempre levar o menor peso possível, eu optei por uma lanterna de cabeça que fixava no capacete e poderia usar fora da bike também na hospedaria que ficasse.

Outro detalhe que faz diferença. Uma coisa é você pedalar dois ou três dias seguidos, outra é você pedalar 15 dias seguidos. A cada dia você se desgasta mais e mais. Você já ouviu falar de Bike Fit? Bike Fit é uma preparação que as lojas especializadas fazem de unir o homem a maquina. É que nem carro de formula. A Ferrari possui dois pilotos: Raikkonen e o Vettel. Um não vai dirigir tão bem o carro do outro, isso porque os carros são preparados individualmente para cada piloto ter o máximo eficiência do seu F1. A mesma coisa é na Bike e com isso você também não se desgasta. Isto também é para quem tiver disponibilidade.

Quanto ao vestuário, acho que esse é o ponto de maior dúvida para não levar nada em excesso e também não sentir falta de nada. Este momento é problemático. Você tem que estar o mais leve possível. No mundo da aventura quanto mais leve, mais caro é o artigo.

Como o caminho de Santiago é bem conhecido, algumas lojas especializadas em aventura como a Mundo Terra, já contam com um kit para quem deseja realizar o caminho de Santiago “a Pé”, então temos que fazer algumas adaptações para bike.

Bem, no próximo artigo falaremos do planejamento do percurso, o trajeto dia-a-dia do caminho. Espero não ter sido cansativo, nem muito detalhista e nem macro demais.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Fantastica a viagem que o Fábio está pensando. Talvez ele deva conversar com Arthur Simões essa pessoa fez bem mais do que ele está querendo fazer pois ele deu a volta ao mundo de bike de 2006 a 2009, os relatos deste projeto estão nesse blog http://www.pedalnaestrada.com.br, isso tudo em uma época que não tinhamos câmeras de sport como temos hoje ou até mesmo GPS. Lembro de ter ajudado no projeto do Arthur conseguindo um GPS adequado e ter participado de toda saída dele enquanto aluno da Universidade Mackenzie, de palestrar que ele deu antes de ir.

  2. Oi Rafael. Acho que já ouvi falar do nome dele pelo instrutor da pedal poder quando fiz o curso de mecânica básica de bike. Obrigado, vou contatá-lo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.