Tempo para Leitura: 5 minutos

Se tem um lugar que é bem restrito no Brasil é o campo de provas da Ford. com mais de 30 anos, poucas pessoas tiveram a oportunidade de entrar e conferir todo o espaço, coisa bem rara de acontecer. Mas milagres existem e ontem fui até a cidade de Tatui, interior de São Paulo, para entrar e conhecer todo o espaço, alem de poder andar de carro na sua pista criada para testar e validar todos os carros que são vendidos, fabricados no Brasil e exportados para toda America Latina. infelizmente apenas como passageiro, lá dentro é tudo bem rígido, para poder pilotar dentro das pistas, é preciso um curso de pilotagem Ford. mas confesso que foi bem mais interessante com o piloto do que se estivesse dirigindo, pois eu iria bem mais “manso” na pista hahaha

A Ford completou um ciclo importante de renovação da sua linha de produtos na América do Sul, hoje 100% global, com o lançamento do Focus Hatch e do Focus Fastback. Agora, mostra uma parte da estrutura de engenharia que está por trás destes e outros lançamentos – como as novas gerações do EcoSport, Ka e Ka+, desenvolvidas no Brasil para vários mercados mundiais – no seu Campo de Provas de Tatuí, no interior paulista.

Nesse local, o único do gênero na América do Sul equipado para o desenvolvimento de carros e caminhões, os veículos da marca passam por baterias completas de testes que incluem desde avaliação dinâmica de aceleração e frenagem, consumo de combustível e emissões, até nível de ruído, conforto e durabilidade. Além de laboratórios de emissões, qualidade sonora e simulação de rodagem, sua estrutura conta com 50 km de pistas internas que reproduzem as mais diferentes condições de terreno existentes no continente.

O Campo de Provas de Tatuí dispõe de equipamentos de última geração, do mesmo nível usado em instalações similares da Ford no mundo, e um time de engenheiros e técnicos altamente especializado. Com a entrada na era das plataformas globais, a unidade passou a ter uma importância ainda maior dentro da área de engenharia. A marca escolheu o Brasil para ser um dos seus oito centros mundiais de criação de produto, que trabalham de forma interligada e em conexão permanente para a troca de experiências.

Linha 100% global

“A Ford é hoje uma das únicas marcas a oferecer uma linha de produtos 100% global no Brasil. Isso nos permitiu trazer várias tecnologias inéditas para o mercado, que se refletem no desempenho, dirigibilidade, economia, segurança, conectividade e conforto dos nossos veículos. No campo de provas, testamos e validamos a qualidade e a durabilidade dos seus diversos sistemas”, diz Fábio Lang, gerente do Campo de Provas da Ford.

Todos os modelos atuais vendidos pela Ford no Brasil foram testados e homologados na unidade. Nessa lista estão desde o Ka, Ka+, New Fiesta, Focus, Fusion, EcoSport, Edge e Ranger até os caminhões Série F e Cargo, com capacidade de até 63 toneladas.

Para atender a evolução tecnológica e o ritmo cada vez mais rápido de lançamento de novos veículos no mercado, Campo de Provas de Tatuí recebeu constantes investimentos. Em seus 37 anos de existência, já realizou cerca de 250 milhões de quilômetros de testes.

“Na área de desenvolvimento do produto você está sempre trabalhando com tecnologias que estão um passo à frente do mercado”, completa Fábio Lang. “As tecnologias de simulação por computador estão entre os grandes avanços que trouxeram mais agilidade e eficiência nesse processo. Mas os testes de pista e a sensibilidade dos pilotos ainda são essenciais para o ajuste fino e validação dos veículos.”

O Campo de Provas da Ford em Tatuí já realizou 250 milhões de quilômetros de testes em seus 37 anos de existência. O trabalho feito nos seus laboratórios de dinâmica veicular, qualidade sonora, conforto de rodagem e controle de emissões revela um pouco do extenso desenvolvimento de engenharia que existe por trás da criação de um veículo.

“Com o avanço da tecnologia impulsionado pelas plataformas globais, os veículos passaram a ter um conteúdo crescente de eletrônica embarcada e os testes ficam cada dia mais sofisticados. Por isso, fazemos investimentos constantes em equipamentos e especialização técnica”, diz Fábio Lang, gerente do Campo de Provas de Tatuí.

O complexo da Ford é equipado para a realização de mais de 100 testes, como desempenho e consumo de combustível, emissões, evaporação, arrefecimento, freios, penetração de água e poeira, cabines de névoa salina, nível sonoro interno e externo, dinâmica veicular, calibração e desenvolvimento de motores e durabilidade. Conta também com uma oficina experimental para a construção de protótipos.

Dirigibilidade: pistas de teste

Seus 50 km de pistas para testes de desenvolvimento e durabilidade simulam diferentes tipos de ruas e estradas da América do Sul, relacionados com outros campos de provas da Ford no mundo. Há seções de pistas pavimentadas de alta e baixa velocidade, labirinto, colinas, rampas com diferentes ângulos de inclinação e estradas de terra e lama. O objetivo é garantir que os veículos cheguem ao mercado preparados para atender todos os requisitos de qualidade, funcionalidade e eficiência.

Todas as pistas são dotadas de um rígido sistema de segurança, que inclui sinalização especial, controle de acesso, cercas e passagens subterrâneas para animais silvestres e treinamento de todo o pessoal operacional e de apoio. Sua estrutura inclui também equipe médica e bombeiros com equipamentos para atendimento de urgência e resgate.

Silêncio: qualidade sonora

Cada som emitido pelo carro, desde o ronco do motor, fechamento de porta ou sinal de pisca, ajuda a construir a “personalidade” do produto. O nível de ruído na cabine é importante para o conforto acústico e padrão de qualidade percebidos pelo cliente.

Todos esses elementos são analisados e refinados nos carros da Ford em um laboratório acústico com equipamentos e softwares sofisticados que permitem registrar, quantificar e identificar cada tipo de som. Um desses novos equipamentos é o VisiSonics, que conta com múltiplos microfones e câmeras para gerar um mapa de 360 graus capaz de sobrepor sons e imagens. Com ele, os engenheiros da área de Ruídos, Vibrações e Asperezas (NVH) conseguem identificar a origem de sons em cada ponto da cabine e adotar ações para a melhora da sua qualidade ou anulação.

“O objetivo é buscar o menor nível de ruído interno na cabine do veículo, considerando diferentes tipos de pistas, para permitir, por exemplo, uma melhor compreensão da fala entre os ocupantes e, consequentemente, um melhor conforto acústico”, diz Jorge Marano, engenheiro de testes de NVH.

Conforto: simulador de rodagem

Para garantir o conforto ao dirigir em qualquer situação de solo, bem como avaliar eventuais rangidos na estrutura, suspensão e níveis de vibração, o Campo de Provas da Ford conta com um laboratório que permite isolar e avaliar separadamente áreas chaves do veículo.

O simulador de pistas (também conhecido como “Four Poster”) é composto de quatro pilares que sustentam e movimentam as rodas do veículo por meio de atuadores hidráulicos. Estes são controlados por softwares capazes de reproduzir mais de 30 tipos de pistas do Brasil e outros países.

Com ele é possível verificar como a suspensão de um protótipo se comporta, por exemplo, em uma estrada da China, sem precisar levar o carro até lá e interferências externas. O programa de simulação reproduz as mesmas forças e frequências do tipo de piso selecionado.

“Na cabine, instalamos acelerômetros na direção, nos apoios de cabeça dos bancos, na alavanca do câmbio e no chassi, além de microfones para medir o nível de ruído e conforto do motorista e dos passageiros com a suspensão do carro em movimento”, explica Wanderley Pella, engenheiro de Testes.

Sustentabilidade: laboratório de emissões

Assim como em outros mercados, o Brasil tem adotado normas cada vez mais rigorosas para o limite de emissões dos veículos. O Laboratório de Emissões da Ford realiza todos os testes desses gases para o desenvolvimento e calibração de motores, homologação de veículos, controle de qualidade da produção e acompanhamento da durabilidade de componentes.

O laboratório conta com modernos dinamômetros e sistemas analisadores de gases para ensaios de motores a gasolina, flex ou diesel, de acordo com as normas brasileiras e europeias. “Entre outras inovações, já estamos equipados para a homologação de veículos com a norma Euro 6 de motores diesel para a Argentina e o Chile, que só deverá ser adotada no Brasil em 2018”, diz Astor da Silva Filho, supervisor do Laboratório de Emissões.

A área conta ainda com uma câmara Shed (Sealed Housing for Evaporation Determination) para medir as emissões que o carro produz no ambiente quando está desligado. Ela simula as variações de temperatura ao longo do dia e mede a concentração de hidrocarbonetos na evaporação de combustível, pneus, graxa e outros componentes, com sensores e analisadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.